sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Clichê de um adolescente: Skam

Poderosíssima como a espada de um samurai, uma série norueguesa, intitulada Skam, nos últimos suspiros de dois mil e dezesseis, conquistou boa parte do mundo, e claro tornou-se famosíssima entre os melhores apreciadores de séries: nós mesmos, Brasileiros Mello. Skam, é uma série teen que aborda diversos assuntos que fazem parte da vida de todo adolescente, como sexualidade, religião, relacionamentos e outros clichês que compõem essa terrível fase. 


Produzida pela NRK, a série foi exibida originalmente apenas no site da própria emissora. Com o pé já na quarta temporada, Skam vem conquistando cada vez mais espaço mundo a fora, tanto que nos quarenta e cinco do segundo tempo do ano passado, uma produtora de entretenimento assinou uma carta de intenção com a NRK, para uma versão americana para os EUA e Canadá. #foradesérie

Como a temática do seriado é todo na vibe adolescente, a mesma conta com um elenco jovem, com a faixa entre dezessete a vinte anos. Lisa Teige, Josefine Frida Pettersen, Tarjei Sandvik Moe, Ulrikke Falch, Ina Svenningdal, Iman Meskini, Marlon Langeland, Thomas Hayes e Henrik Holm, são alguns dos nomes que compõem o elenco da série.

A série já possui três temporadas, cada uma tendo em vista um personagem diferente como protagonista, a série não é antológica, apenas trazem historias diferentes a cada temporada, e vez ou outra faz conexões com temporadas anteriores. E durante a primeira temporada, que é composta por onze episódios, a história gira em torno da personagem Eva (Lisa Teige) e seu difícil namoro com Jonas (Marlon Langeland) recheado de problemas, inclusive a falta de confiança. Eva é uma menina sozinha, a típica loser do ensino médio, isso até ela conhecer Noora (Josefine Frida Pettersen), Sana (Iman Meskini), Chris (Ina Svenningdal) e Vilde (Ulrikke Falch), nascendo assim o melhor esquadrão que a gente respeita. 

A segunda temporada tem como protagonista a personagem de Pettersen, a Noora e seu relacionamento com William (Thomas Hayes), que nos é apresentado na primeira temporada como bad boy, sendo totalmente o oposto da Noora. Aquele velho clichê do bad boy que se apaixona pela mocinha ou vice-versa e a gente ama. Lá na primeira temporada, o personagem de Thomas se envolve com Vilde, personagem de Ulrikke. E em boa parte da segunda temporada essa é uma das dificuldades do casal, logo que Vilde, além de ser uma das melhores amigas de Noora, é uma personagem difícil, toda sentimental e Noora não quer magoá-la. A segunda temporada foi a maior até o momento, possuindo doze episódios. 

A terceira temporada abordou um tema muito importante na vida de um adolescente: a descoberta da sexualidade. E quem é o protagonista da vez é Tarjei Sandvik Moe, que na série dá vida ao personagem Isak. A sexualidade do personagem é um plot lá da primeira temporada, quando dão a entender que Isak é apaixonado pelo melhor amigo, Jonas, mas somente na terceira essa temática é abordada. Ao conhecer Even (Henrik Holm), Isak tem seu mundo virado de pernas pro ar, deixando de sair com seus amigos, inventando desculpas e tudo mais. Além de sua homossexualidade, a temporada também aborda o relacionamento complicado que o personagem tem com seus pais, principalmente com sua mãe, que é bastante religiosa. Quando Isak se assume pra Jonas, a reação do melhor amigo foi uma das coisas mais lindas da temporada, ficando atrás apenas de Evak (Even+Isak). Mas como nem tudo na vida são flores, Even sofre de transtorno bipolar, e spoiler alert, a gente chorou e sofreu horrores. Mas felizmente tudo acaba bem, gente! A terceira temporada, até o momento, foi a menor, possuindo dez episódios. 

Look through my eyes #evak
Depois dessas historias incríveis, com um roteiro muito bem escrito, com esses atores maravilhosos e uma trilha sonora magnífica, é claro que a série seria muito bem recebida, e seria muito bem premiada, não é mesmo? Prova disso é que em dois mil e dezesseis, em uma cerimônia de premiação da Noruega, a série levou prêmios como: melhor drama, melhor série estreante, inovação do ano, melhor edição de TV de e revelação do ano para Julie Andem e Mari Magnus, os criadores/produtores. Ah, e outro fato sobre a série, é que por ser toda jovial, os personagens possuem redes sociais, para que possam interagir com os fãs durante e depois de cada episódio. Vamos adicionar todos e treinar nosso norueguês.

A gente amou, e estamos ansiosíssimos para saber sobre quem será a quarta temporada, que está prevista para o primeiro semestre de dois mil e dezessete. Assistam, e façam suas apostas!

"Faço o possível para escrever por acaso. Eu quero que a frase aconteça. Não sei expressar-me por palavras. O que sinto não é traduzível. Eu me expresso melhor pelo silêncio. Expressar-me por meio de palavras é um desafio. Mas não correspondo à altura do desafio. Saem pobres palavras." Clarice Lispector